Violência Doméstica é retratada em livro de juíza

//Violência Doméstica é retratada em livro de juíza
violencia domestica

Violência Doméstica  – a obra “Invisíveis Marias – histórias além das quatro paredes”, de autoria da juíza Rejane Jungbluth Suxberger, retrata casos marcantes de violência sofrida por mulheres que buscaram na Justiça um alívio para suas dores. Uma leitura comovente sobre uma realidade que impera no Século XXI. O lançamento foi realizado no dia 1º de março, no Sallva Ristorante de Brasília

Há inúmeras “Marias” pelo Brasil adentro. Essas mulheres, independente de raça, idade ou nível social, são vítimas, diariamente, de violência doméstica. A juíza Rejane Jungbluth Suxberger conheceu de perto – em salas de audiência -, a realidade de muitos lares brasileiros, o que a motivou a assumir uma missão que vai além da toga: dar voz a quem sente na pele as dores, os dramas e os traumas dessa violência, causada na grande maioria das vezes pelos próprios companheiros. A magistrada reuniu histórias com as quais se deparou ao longo dos anos de Magistratura, para lançar seu livro “Invisíveis Marias – histórias além das quatro paredes”.

“Tentei trazer um pouco da dura realidade que não cabe nas folhas de um processo e de vidas que seguem adiante. As histórias se perdem e as vítimas desses casos, tantas vezes ignoradas pela nossa sociedade, vão se tornando invisíveis”, conta Rejane. Na publicação, a autora compartilha o mundo de sentimentos que agride os que se aventuram pelo sistema de justiça criminal e lutam para permanecer sensíveis a isso. “As narrativas remontam os fracassos, as insuficiências, os poucos êxitos, os esforços, enfim, os dramas que passam despercebidos a quem desconsidera desde os gritos da vizinha até o pedido de socorro em forma de processo”, detalha.

“Invisíveis Marias – histórias além das quatro paredes” é resultado de dois anos de trabalho, em que a magistrada se debruçou na releitura dos processos mais marcantes, em especial, àqueles que a perseguiram noites adentro em seus pensamentos, por meses e anos. “Espero que essas histórias, que mesclam a dura realidade com a minha própria vivência como julgadora, possam dar voz a tantas invisíveis Marias”, almeja a autora.

Veja a matéria no site do G1: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/casos-reais-de-violencia-domestica-viram-contos-em-livro-de-juiza-leia-entrevista.ghtml

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.